Creme Prebiótico de Banana Verde e Morangos

1898129_3872007495400_365364443_n

Ler sobre nutrição e alimentação se tornou um hobby para mim nos últimos dois anos, quando rolou o clique de que eu tinha que mudar de vida e meus hábitos alimentares. Nessa jornada de mudar hábitos e ser uma versão melhor e mais bem nutrida de mim mesma, uma palavra que sempre me ronda é equilíbrio. Mente, corpo e espírito harmonizados para garantir qualidade de vida. Lógico que eu estou longe de ser exemplo zen-budista do que quer que seja. Aliás, eu não estou nem perto disso. Só que não custa nada ir tentando melhorar 🙂

No nosso organismo, um dos pontos que mais denunciam essa falta de equilíbrio é a digestão. Pode reparar: você estressa, fica nervoso, fica tenso, ansioso… E tudo, digamos, trava! hahaha Been there, done that 🙂 Ok, tem gente que solta mais do que deveria, vamos ser justos com ambas as categorias hehe É tanto que o intestino é chamado de segundo cérebro! Além disso, o nome se refere ao tanto de terminações nervosas e interferências no bem-estar do organismo que estão associados ao correto funcionamento do processo digestivo como um todo. Existem estudos falando sobre as interferências no humor, na imunidade, na pele…

Pelas minhas leituras e buscas, um assunto sempre rondava: como melhorar a flora intestinal e regular tudo. E nem me venha dizer para tomar activea, porque nessa vida já li e testei de um tudo (sim, eu sou cobaia dum monte de coisas fruto das minhas leituras) e nada funcionava… Até que num dos blogs que eu leio sempre e que é escrito por um médico do Rio Grande do Sul, o Dr. José Souto, vi uma postagem falando sobre o amido resistente em alguns alimentos e seus benefícios para a vida de todos aqueles que tem dificuldades no trânsito intestinal.

Está tudo explicado nos posts do blog do Dr. Souto (procure por Amido Resistente), mas basicamente, o amido resistente é um tipo de amido presente em alguns alimentos e que faz bem para a flora intestinal da gente, que de tanto ser agredida por maus hábitos alimentares e resíduos tóxicos para de funcionar propriamente.  Dentre esses alimentos, um dos mais poderosos é a banana verde. Quando consumida crua, a banana verde tem enormes benefícios para a digestão e seu carboidrato não é absorvido pelo nosso organismo, ele vai pras lindas bactérias que moram no intestino 🙂

Importante ressaltar que, apesar de o consumo da banana verde em forma de biomassa (banana cozida) ser altamente difundido, para que ela mantenha as propriedades como amido resistente é preciso que ela esteja CRUA. Uma banana verde crua tem em média 30% de amido resistente, mas quando aquecida ela passa a ter 2% apenas. E os 28%, você me pergunta? Eles viram açúcar comum, amido comum devido à alta temperatura. Então, o melhor jeito de consumir a banana verde e ter todos os seus benefícios probióticos é comê-la gelada. O gosto dela pura é impraticável, mas quando colocada em vitaminas, ela nem gosto tem.

O destino de toda banana verde é amadurecer. Então o melhor negócio é descascar a banana, cortar em rodelinhas e congelar. Eu uso saquinhos de freezer. Ah, e a dose diária recomendada pelo Dr. Souto é de duas bananas verdes por dia. Recomendo, novamente, que, antes de fazer qualquer receita, você dê uma lida neste post.

E, graças ao meu amigo James, aprendi que alimentos que cultivam a flora intestinal são PREbióticos. Passei minha vida toda chamando de PRObióticos. James, que estuda biologia e já sofreu pra aprender as minúcias do assunto explica: só são alimentos probióticos aqueles que contém microorganismo, tipo os lactobacilos presentes no yakult. Os que tem como função estimular a flora intestinal, mas que não contém os microorganismos, são prebióticos. 🙂

Agora, vamos à receitinha. Quando comecei a usar as bananas verdes, só fazia vitamina. Era prático, era rápido, era gostoso. Chegando na casa da minha mãe e envolvendo-a na minha rotina alimentar, comecei a inventar outras formas de consumir meu “remédio”. Foi assim que saiu esse creme probiótico de banana verde e morangos. Ah, e antes que você me pergunte: nem de longe parece banana 🙂

1978678_3872004175317_1949056345_n

Creme Prebiótico de Banana Verde e Morangos

Ingredientes:

2 bananas verdes congeladas em rodelas

4 morangos congelados

Adoçante a gosto

Modo de Preparo:

1. No processador, coloque os morangos e as bananas.

2. Comece a processar até que fique bem cremoso.

3. Adoce a gosto.

4. Sirva bem gelado 🙂

Dicas Pra Lamber os Dedos:

1. Juro que fica sem gosto algum de banana verde. Não amarra a boca nem nada, eu “agarantio” 🙂

2. Quem quiser a receita mais gordinha, pode substituir os morangos por uma colherada generosa de manteiga de amendoim.

3. Deve ficar bom também com cacau ou achocolatado. Tem só que ver seu paladar para o doce.

4. Rende bastante esse creme. Então você pode colocar no congelador e ir consumindo ao longo do dia. Eu e mamãe consumimos como sobremesa.

5. Achei a consistência quase de sorvete. Incrível mesmo!

6. Por cima, eu piquei 2 castanhas de caju e joguei. Assim, deu um gostinho ainda mais especial.

7. Acho que deve ficar bom também com goiaba e tâmara 🙂

Anúncios

Farofinha de Repolho

20140224_213245_Anne

Existe uma coisa que para mim foi muito difícil de abrir mão na dieta. Essa coisa foi a farofa! Oi, meu nome é Georgia e eu amo farofa! ♥ Daí, mesmo tendo todo um controle das porções, uma alimentação regradinha, sempre fica a vontade de comer farofa ali martelando no seu juízo, principalmente se você decide comer uma carninha mais sequinha. Nessas horas entra em ação o seu lado criativo e culinário. Panelas pra que te quero e vamos inventar uma receita.

O ponto principal: o que usar como farinha? Sim, porque se tem duas coisas com as quais a gente lida como desafio no mundo das criações das receitas mais magrinhas são o açúcar e as farinhas. Como deixar algo saudável, saboroso e visualmente apetitoso? Foi aí que um repolho raladinho dentro da geladeira me deu uma ideia 🙂 Eu já tinha feito farofa com farinha de linhaça, mas ficou com um amargorzinho no final que não me fez achar que ela era a mais perfeita. Ela era boa, mas ainda não me fazia esquecer que era linhaça. E eu queria pensar só que estava comendo farofa, não queria lembrar disso da linhaça ou de qualquer substituto.

A receita é boba de tão simples, mas fica uma delícia e não adiciona muitas calorias extras ao seu prato, já que é uma parte de salada, digamos assim. =) O segredo é picar tudo bem miudinho e ir temperando de acordo com o seu gosto. A receita está sugerida para uma pessoa, mas é só duplicar ou triplicar as quantidades para servir para mais gente. Espero que gostem 🙂

20140224_213222_Anne

Farofinha de Repolho

Ingredientes:

1 colher de manteiga

4 colheres de repolho ralado fino

2 colheres de cebola picada ou ralada

1 colher de azeitonas verdes picadas

Sal

Orégano

 

Modo de fazer:

1) Numa frigideira anti-aderente coloque a manteiga para derreter em fogo baixo.

2) Acrescente a cebola e uma pitadinha de sal. Refogue a cebola até que ela fique bem clarinha.

3) Coloque o repolho ralado na frigideira, refogue e vá mexendo até que fique tudo bem sequinho.

4) Adicione a azeitona picadinha e mexa bem.

5) Acerte o sal e polvilhe orégano. Mexa bem até o cheiro do orégano fique presente.

6) Apague o forno e sirva 🙂

 

Dicas Pra Lamber os Dedos:

1) Para ralar o repolho, você pode usar um ralador daqueles convencionais, no lado fino. Caso você tenha um processador de alimentos, use a faca para processar tudo beeeeem miúdinho! Quanto menor, mais aparência de farofa tem 🙂

2) O mesmo vale para a cebola. Mas se você não tiver paciência de ralar (ou começar a chorar feito uma doida, feito eu fiz), pode picar bem miudinha na faca mesmo, assim não tem problema.

3) Minha azeitona já vem fatiada, então eu usei do jeito que veio mesmo. Ah, e aproveitei um pouco da conserva no lugar do sal.

4)É importante que tudo fique bem sequinho, então refogue bem mesmo até que todo o líquido da cebola, do repolho e das azeitonas tenha sumido. Assim a farofa fica mais gostosa.

5) E antes que alguém me pergunte: não pode usar margarina, tá? Aliás, se você puder, jogue fora a margarina, que ela não traz nenhum benefício pra saúde.

6) Se quiser substituir a manteiga, uma boa alternativa é o óleo de coco ou a manteiga de garrafa, que o povo das modinhas gastronômicas anda chamando por aí de ghee.

7) Você pode ainda adicionar cenoura ralada pequenininha, que o sabor fica delicioso e a cor fica linda 😀

Frittata de Camarão

image

Frittata é um prato de origem italiana, que nada mais do que misturar os ovos junto dos demais ingredientes e assar numa caçarola. De onde eu venho, no Ceará, frittata se chama carinhosamente de malassada, e mesmo tendo esse nome característico, é feita da mesma forma. Nada mais é do que uma omelete em que se assa recheio e massa junto, sem fazer aquela omelete estilo crepe, que é mais comum. É o famoso tudo junto e misturado.

Frittata é bom porque é um prato rápido, leve e você pode aproveitar sobras que tenha na geladeira para deixar o recheio ainda mais caprichado. Comumente ela leva algum tipo de queijo, legumes, vegetais… e o que mais a criatividade permitir. Tem um tempo, ganhei uns camarões daqueles pequenininhos e ainda estava em dúvida sobre o que fazer com eles. Foi quando veio essa ideia da frittata/malassada. Na receita, um pouco de tudo e muitas especiarias para realçar o sabor e perfumar a receita. Comidinha prática para aqueles dias em que não temos muito tempo de fazer almoço. Ah, e dá pra fazer e deixar na geladeira. A receita rende entre 2 e 4 porções, depende do quanto seu apetite te diga para comer 🙂
image

Frittata de Camarão

Ingredientes:

4 ovos

1 xícara de camarões

1 cenoura pequena em cubos

1/2 pimentão

1/2 cebola roxa

2 colheres de sopa de ricota

1 colher de chá de fermento em pó químico

Pimenta do reino moída

Manjericão desidratado

Orégano

Alecrim

Sal

Alho

Azeite

image

Modo de Fazer:

1. Corte a cebola, o pimentão e a cenoura em cubinhos. Pique o alho na faca.

2. Numa frigideira antiaderente, coloque só um pinguinho de azeite e espalhe com um guardanapo de modo a untar toda a extensão da frigideira.

3. Refogue o alho picado, a cebola e o pimentão junto com os camarões. Coloque um pouquinho de água, só para que o camarão cozinhe levemente. Quando a água evaporar apague o fogo e reserve.

4. Numa tigela, com o garfo ou fouet, bata os ovos até que espumem bem. Misture a ricota e mexa bem. Acrescente a cenoura e refogado de camarão com cebola, pimentão e alho.

5. Adicione sal, pimenta, manjericão, alecrim e orégano a seu gosto.

6. Adicione o fermento e misture bem.

7. Aqueça a mesma frigideira em que você refogou os camarões e despeje a mistura.

8. Abaixe o fogo e tampe a frigideira para que a mistura cresça.

9. Vá checando o cozimento. Quando as bordas estiverem douradinhas e se soltando, e o meio estiver firme, sua frittata está pronta.

10. Retire da frigideira com o auxílio de uma espátula e é só comer 😉

image

Dicas Pra Lamber os Dedos:

1. Você pode fazer um molhinho com requeijão e catchup para colocar por cima.

2. Se você tiver e quiser, pode ainda acrescentar um pouco de brócolis e couve-flor na mistura da frittata.

3. Pode substituir a ricota por um queijo que você prefira. Pode ser por queijo de coalho ou por muçarela. Basta que você corte ou rale, para que os pedaços se espalhem pela massa.

4. Se quiser, você pode trocar os camarões por frango desfiado. Refoga do mesmo jeito e segue a sequência de montagem, Fica delícia!

5. Na geladeira, a frittata sobrevive bem por uns 3 dias na prateleira de cima. Então, rola ainda de preparar pensando naquela marmita esperta. Na hora de comer, micro por uns 30 segundos ou 1 minuto et voilà!!

6. O bom da frittata é que ela já vira uma refeição completa, a depender do que você use de recheio. Você pode ainda acompanhar com aquela bela salada ou mesmo o feijão com arroz de cada dia.

7. Amo essa receita pela praticidade, porque ovo é aquele alimento fast food. Quando nada mais existe, o ovo aparece pra salvar sua fome e o tanto de coisa possível é emocionante 😉

Torta Fria de Atum com Requeijão

image

Ultimamente tem dias em que, devido às demandas da vida prática, acabo preferindo comer pela universidade ao invés de vir pra casa almoçar. Isso porque vir em casa sempre acaba demorando mais do que deveria, porque você lembra de uma coisa ou outra por fazer e quando vê, o tempo foi embora. Pensando nesses dias em que tenho de comer fora, comecei a estudar, dentro das possibilidades da minha dieta e das condições que tenho para a conservação da marmitinha, quais comidas seriam mais adequadas.

Na universidade, não tenho ao meu dispor um microondas nem uma copa. Mas existe um frigobar que muito ajuda a conservar um lanche esperto ou marmitinha. Só que isso faz com que na hora do almoço, a comida esteja gelada… Então pensei numa receita que fosse feita justamente para comer assim. Noutro dia dei a receita do Nhoque Protéico, feito com proteína isolada de soja. Aquela massa acaba sendo uma massa versátil e resolvi expandir as possibilidades de uso dela. E o resultado ficou bem legal.

image

Torta Fria de Atum com Requeijão

Ingredientes:

1 receita de massa de nhoque protéico

1 lata de atum light em água

2 colheres de requeijão light

3 colheres de ricota fresca

Sal

Pimenta do reino

Páprica Picante

Orégano

Alecrim

Modo de Fazer:

1. Pré-aqueça o forno em 250º. Prepare a massa de proteína isolada de soja do jeito que eu explico no post do nhoque protéico.

2, Com um rolo de macarrão ou uma garrafa limpa, abra a massa.

3. Forre o fundo e as laterais de um refratário pequeno com a massa.

4. Leve ao forno por cerca de 5 a 10 minutos. Não deixe passar disso, senão fica borrachuda.

5. Retire a massa do forno e deixe esfriando. Enquanto isso, prepare o recheio.

6. Numa frigideira anti-aderente, coloque o atum com água da conserva e tudo.

7. Acrescente o sal, a páprica, a pimenta do reino e o orégano. Tudo a seu gosto.

8. Acrescente o requeijão light, mexa bem e espere que seque um pouco da água, para que fique bem cremoso.

9. Apague o fogo e despeje essa mistura na massa. Espalhe bem.

10. Pegue a ricota e esfarele, até que fique com um jeito de queijo ralado grosso.

11. Polvilhe a ricota por cima da torta e em seguida polvilhe o alecrim.

12. Agora é só deixar na geladeira e se servir da torta 🙂

image

Dicas Pra Lamber os Dedos:

1. Usei atum como recheio mas você pode usar outra opção, como frango desfiado ou mesmo carne moída, tenho certeza de que ficará delicioso.

2. Essa receita é pequena, ela rende duas porções. Se você quiser uma torta maior, duplique ou triplique a receita.

3. Se você quiser, pode usar 2 latas de atum ao invés de só 1, aí é só deixar secar a água por mais tempo e acrescentar 1 colher a mais de requeijão.

4. Costumo congelar a ricota e ralar ela no ralo fino. Depois de ralada, você pode ainda polvilha um tiquinho de sal, pra dar uma saborizada. Fica ótima e até parece que você tá comendo parmessão hahahah #cêjura

5. Se você quiser e sua dieta permitir, pode usar parmesão ou mussarela ao invés da ricota. Ou outro queijo de sua preferência. Só lembrando que, como a torta é fria, o queijo tem de ser legal de comer sem derreter.

6. Caso prefira pratos quentes e tenha um microondas à disposição, você pode levar a torta por 30 segundos no micro. Só não deixe passar disso, pois a massa pode ficar borrachudinha. No meu micro em potência máxima, bastaram 15 segundos e ela já tava morninha, e manteve a textura macia.

7. A torta fica bem gostosa e sacia bem. Você pode ainda acompanhá-la com uma boa saladinha 🙂

8. Lembrando que essa tortinha é low carb e low fat, super do bem pro projeto biquini de lacinho avançar 🙂 #agoravai

Mingau de Caneca

image

Ultimamente aqui tem dado uma esfriadinha, o que é bom. Sou friorenta, mas o climinha ameno é muito bom, ficar debaixo das cobertas morgando mais 5 minutinhos e relutando a hora de sair da cama. E presses dias mais frios, nada melhor que um mingauzinho, aquela comidinha com jeito de abraço de mãe, que te aquece e te deixa mais confortável. O preferido nessas horas é o mingau de aveia. Sempre!

Só tem um probleminha: morro de preguiça de fazer mingau pelo tempo que leva e porque depois tem que lavar a panela. Sim, porque eu amo cozinhar, mas lavar as louças e panelas já é outro departamento. Pensando na minha preguiça, resolvi testar fazer mingau direto na caneca. E funcionou, para a minha alegria e de quem não gosta de ter muita louça pra lavar.
image

Mingau de Caneca

Ingredientes:
200ml de leite desnatado
1 colher de sopa de farelo de aveia
Canela em pó
Adoçante

Modo de Fazer:
1. Coloque o leite na caneca e leve ao microondas por 1 minuto.
2. Acrescente o farelo de aveia ao leite quentinho, mexa bem para que não forme nenhum gruminho.
3. Leve a caneca ao microondas por mais 1 minuto.
4. Retire, mexa e adoce a seu gosto.
5. Polvilhe canela e se delicie.
image

Dicas Pra Lamber os Dedos:
1. Se você gostar do mingau mais grossinho, quase em ponto de papa, coloque mais 30 segundos.
2. Se você só tiver canela em pau, pode colocar dentro do leite para aquecer e retirar antes de colocar o farelo de aveia.
3. Usei farelo de aveia, mas isso também funciona com farinha de aveia ou aveia em flocos finos.
4. Ando fazendo aloka da aveia ultimamente, não é? É que os benefícios são tantos que não dá pra não amar 🙂
5. Se você for adoçar com açúcar pode colocar direto no leite, mas usando adoçante de mesa, deixe para adoçar só depois, pois os adoçantes de mesa não devem ser aquecidos. Aqueles que a gente aquece são os próprios para forno e fogão.
6. Se você gostar, pode polvilhar cravo da Índia em pó ou cardamomo, fica um cheiro delicioso e o sabor mágico na boca.
7. Amo especiarias 8. Essa dica vale ainda pra se você curte mingau de farinha láctea também. Fica grossinho do mesmo jeito da aveia.
9. Deu vontade de tomar mingau agora 🙂 #vaigordinha

Nhoque Protéico

image

 

Alimentos funcionais são aqueles que nos nutrem e que as propriedades dele servem não somente para encher a barriguinha, mas para benefícios além da nutrição propriamente dita. Por exemplo, a aveia é um alimento funcional por seu papel não somente na nutrição como também na saciedade, na digestão, e até no auxilio do emagrecimento. Existe um grupo de alimentos funcionais que eu realmente amo, que são as farinhas de proteína ou baixo carboidrato.

image

Nessa lista está o ingrediente principal dessa receita de hoje, que é a Proteína Isolada de Soja. Ela é conhecida também como PIS e é usada nas dietas com baixa ingestão de carboidratos justamente por sua textura próxima à da farinha de trigo, mas sua altíssima concentração de proteína. O bom é o tanto de coisas que você pode fazer com essa farinha =) Essa semana, num dos grupos que eu participo no facebook, uma das meninas, a Juliana postou essa receita em forma de macarrão. Gostei tanto da ideia, que resolvi testar pro jantar de hoje. Lembrando que se você quiser fazer com farinha de trigo, pode fazer, tudo depende do que você gosta de comer e o que sua dieta permite, tá?

image

 

Nhoque Protéico

Ingredientes:

1 ovo

5 colheres de sopa Proteína Isolada de Soja

1 colher de café de azeite de oliva

Sal

image

Modo de Fazer:

1. Numa tigela, coloque o ovo e misture bem a clara e a gema com um garfo ou fouet.

2. Coloque uma pitada de sal e misture bem.

3. Vá acrescentando a proteína isolada de soja aos poucos e mexendo bem.

4. Acrescente a colherinha de azeite de oliva e misture a massa.

5. Com as mãos, vá misturando bem a massa como quem sova massa de pão.

6. Com a massa bem sovada e integrada, retire pedaço e vá esticando com a mão, fazendo uma tirinha, uma “cobrinha” de massa com a espessura de um dedo.

7. Com a faca, corte a massa em pedaços. Separe em 3 ou 4 porções. Você vai cozinhar a massa aos poucos.

8. Coloque uma panela com água no fogo e quando a água estiver fervendo vá colocando as porções de massa. Você vai só “assustar” a massa, deixando só cerca de 1 minuto e depois já retirando com a escumadeira.

9. Quando tirar a massa, coloque numa vasilha com água fria, para interromper o cozimento.

10. Repita o processo com o restante da massa.

11. Escorra na peneira e sirva com o molho que preferir.

image

Dicas Pras Lamber os Dedos:

1. É importante não deixar que a massa fique tempo demais na água fervente, senão ela fica dura, borrachuda, ok? #truestory

2. Como molho, fiz frango em cubinhos e acrescentei molho de tomate zero açúcar e 0% gordura ❤

3. Ah, se quiser, você ainda pode colocar ervas na massa, acho que fica muito gostoso. Joguei orégano por cima do meu e ficou delicioso.

4. Com molho branco de requeijão com ervas finas deve ficar também muito bom.

5. Como disse no post, a lógica dessa receita também vale se você quiser usar farinha de trigo normal.

6. Se você quiser, pode abrir essa massa com o rolo de macarrão e cortar em tirinhas e cozinhar como espaguete.

7. Essa receita pode ser feita para todas as fases daqueles que fazem a dieta dukan. Quem estiver na fase 1 da dieta, pode deixar de fora o azeite.

8. Agora pode até comer massa todo dia 🙂

9. Ah, a proteína isolada de soja também pode ser encontrada com o nome de fibra de soja nos supermercados, lojas de produtos naturais e de dieta. Sendo que quando ela é chamada de fibra de soja, ela é mais barata 🙂

Mini-pizzas práticas

mini-pizzas-praticas

Tem dias em que bate aquela larica de pizza. Vocês também são assim? Já comentei no post do Dia da Pizza que amo pizza e a filosofia daqui de casa, pegando emprestadas as palavra do meu amigo Marcos, é que “pizza ruim é não ter pizza”.  Quando a larica vem, você pensa que poderia ligar na pizzaria da esquina e encomendar uma, mas cadê dinheiro? É, amiguinhos, com dinheiro contado e orçamento curto, a gente tem que usar de expedientes outros para matar os desejos.

A receita de hoje está mais pruma dica do que pruma receita propriamente falando. Tem umas semanas, eu estava muito desejando uma pizza e fui passando pelo supermercado em busca de pão folha, pra fazer uma pizza prática, mas com massa mais leve. De repente, um enorme disclaimer me chamou atenção. Aqueles eram números mágicos e suaves para os meus olhos. Eles diziam em vermelho “R$0,98”! Eu nem sabia o que era, mas já estava emocionada, porque, vamos combinar, meu povo, o que hoje custa R$0,98? Acho que nem mais a esfiha do habib’s sai por esse valor. #exagerada
image

Quando me aproximei daquela miríade econômica, vi que se tratavam de massinhas prontas pra pastel, daquelas pequenas, sabem? Olhei inicialmente e desanimei. Continuei na missão de ir comprar o pão folha, que estava do lado das massinhas. Depois, resolvi voltar e dar aquele confere na tabela de calorias. Sabe a surpresa? As massinhas, duas unidades delas, sem serem light nem nada tinham a mesma taxa de calorias, carboidratos e gorduras de um pão folha que se promove como light. A diferença é que um pacote com umas 20 massinhas custava R$0,98 e um pacote com 10 pães folha custava R$4,98. Do the math 😀

Eu posso comer como porção de carboidrato no jantar 1 pão folha desses com algumas opções de recheio. Então, duas massinha com as mesmas opções de recheio dariam no mesmo, certo? Lógico que nesse dia a janta aqui em casa foi mini-pizza! 😀 E como hoje é sexta e na maioria das bodegas, mercadinhos e cercanias vende dessas massinhas, resolvi trazer a dica pra vocês variarem e ainda comerem PIZZA 😀 (Sim, pizza me deixa bem feliz, percebam pela quantidade de emoticons) Vamos à receita feat. pulo do gato 😀 As quantidades rendem duas mini-pizzas, mas você pode multiplicar para o quanto quiser.

image

Mini-Pizzas Práticas com Massinhas de Pastel

Ingredientes:

2 disco de massinha de pastel

1 fatia de queijo muçarela

1/4 de linguiça fininha

Molho de tomate

Orégano

Modo de Fazer:

1. Em uma frigideira anti-aderente sem óleo nem nada, aqueça as massinhas só para que assem um pouquinho (porque elas vem cruas).

2. Espalhe a quantidade que desejar de molho de tomate em cada uma das massinhas.

3. Parta a fatia de queijo ao meio e coloque uma metade em cada massinha. Você pode ainda picar o queijo, se preferir e distribuir os pedaços picadinhos pela massa com molho de tomate.

4. Corte a linguiça em rodelas fininhas.

5. Polvilhe orégano por cima.

6. Coloque as mini-pizzas numa forma ou assadeira e leve ao forno até que o queijo esteja bem derretido. Isso também significa que a linguiça terá assado. No meu forno, isso significou uns 10 minutos, porque ele já estava pré-aquecido.

7. Retire do forno e coma 🙂

Dicas Pra Lamber os Dedos:

1. Mesmo sem ser em promoção, o preço dessa massinha varia de R$1,50 a R$3,00. E os pacotes tem entre 15 e 20 massinhas dessas.

2. Eu amei muito essa mini-pizza, além do quê, ela dispensa garfos. É uma ótima opção pra servir numa festa, chamar uns amigos e fazer a linha de comidinhas de moda, a tal finger food.

3. Se você quiser, pode derreter o queijo no microondas. Bastam uns 30 ou 45 segundos, a depender da potência do seu micro.

4. O recheio pode variar de acordo com seu gosto e o que você dispõe na geladeira. Como pizza de calabresa é a minha pizza preferida pra vida, em geral vocês me verão fazendo os recheios delas 😀

5. Uso da linguiça fininha porque ela é defumada, dura mais na geladeira e dá pra controlar melhor as porções. Além do custo benefício do pacote compensar mais.

6. Pra acompanhar, nesse dia fiz suco de abacaxi beeem gelado 😀

7. Por cima da pizza, você pode jogar ainda manjericão e até cortar uns tomatinhos cerejas se tiver. Assim o conceito mini permanece 🙂

8. Na foto, coloquei as mini-massas do lado do pão folha, pra que vocês vejam que não perde em nada em tamanho. Aliás, não sei vocês, mas meu cérebro adora fartura e falou em comer 2 ao invés 1 coisa, eu já me animo muito 🙂